domingo, 30 de dezembro de 2012

TECENDO A VIDA UMAS COISITAS - 324

PITADAS DE SAL – 54 



Caríssima/o:

Pitada a pitada, semana a semana, fomos andando por aí, como agora se diz. Não sei se éramos muitos se poucos, mas a mim deu-me muito prazer, qual galgo à solta, andarilhar como perdido à busca de memórias vividas. É tempo de resguardar o sal (agora tem de ser com um plástico…).
Mas, antes de me ir embora afastando-me das marinhas, permiti que abrace um velho amigo que, ao longo dos anos me acompanhou e proporcionou aventuras as mais fantásticas e incríveis, qual delas a mais inesperada… Não minto se vos disser que, sentado à minha beira, com a Madalena e minha Mulher, reviveu e recontou muitas destas pitadas. Obrigado, Baltazar!
Demos então a voz ao poeta que reservei para hoje:

O SAL DA LÍNGUA 

Escuta, escuta: tenho ainda
uma coisa a dizer.
Não é importante, eu sei, não vai
salvar o mundo, não mudará
a vida de ninguém - mas quem
é hoje capaz de salvar o mundo
ou apenas mudar o sentido
da vida de alguém? 


Escuta-me, não te demoro.
É coisa pouca, como a chuvinha
que vem vindo devagar.
São três, quatro palavras, pouco
mais. Palavras que te quero confiar,
para que não se extinga o seu lume,
o seu lume breve.
Palavras que muito amei,
que talvez ame ainda.
Elas são a casa, o sal da língua. 


Eugénio de Andrade

A todos desejo um 2013 pleno de saúde, felicidade, paz e amor!

Manuel






sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Padre Carvalhais vai ser homenageado no domingo





Nota: Felicito o meu bom amigo pela homenagem que lhe vai ser prestada, com a presença do Bispo de Aveiro, D. António Francisco dos Santos. Admiro-o pelo seu testemunho de presbítero, presentemente ao serviço do Povo de Deus em Vagos, mas também pelo exemplo de cidadão lúcido, comprometido na luta por um mundo de mais justiça social, e interveniente na defesa dos mais frágeis da sociedade.

FM

- Posted using BlogPress from my iPad

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Saneamento Básico da Gafanha da Nazaré

Junta de Freguesia da Gafanha da Nazaré

  
A Câmara Municipal de Ílhavo informa que  a empresa “Águas da Região de Aveiro (AdRA)” lançou a concurso, hoje, 27 de dezembro, a grande obra de saneamento básico na cidade da Gafanha da Nazaré, incluindo também a área mais antiga — norte — da Zona Industrial da Mota, na Gafanha da Encarnação. Esta obra tem um período de execução de um ano e comporta um investimento previsto de 13 247 000 euros, sendo a AdRA a assumir os custos respeitantes à rede de águas residuais e a CMI a assumir os custos da rede de águas pluviais. Cada uma das entidades assumirá o pagamento de 50% das repavimentações das vias intervencionadas. Em condições normais, as propostas serão abertas no dia 7 de fevereiro de 2013,  podendo as obras ter o seu início no segundo trimestre de 2013.
A referida obra de saneamento básico da Gafanha da Nazaré é a maior das previstas no plano de investimento da AdRA para o Município de Ílhavo, e a que vai servir mais Cidadãos, completando a lista de trabalhos que vão ser financiadas pelos Fundos Comunitário do atual QREN.

Fonte: CMI

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

TECENDO A VIDA UMAS COISITAS - 323

PITADAS DE SAL – 53





FIGURAS DO MEU PRESÉPIO 

NATAL – 2012 

Bom é o sal; mas, se o sal se tornar insípido, 
com que o haveis de temperar? 
Tende sal em vós mesmos, 
e guardai a paz uns com os outros. 
Marcos 9:50 

Caríssima/o:

Estava tentado a escrever que este ano de 2012 passou muito depressa e quase me parece que não teve os dias todos, quando afinal até houve o 29 de fevereiro. Andámos pelas marinhas e, entretidos, o Natal surpreende-nos! 
Seguindo a tradição, vamos convocar algumas figuras que, com a ajuda de meus Netos, disporemos no Presépio que todos os anos reconstruímos. 

Porque mais jovem tem a primazia: o Ângelo, muito ao seu jeito, suave mas com firmeza, requisita o seu lugar. Se o não conhecesse, dir-lhe-ia que esperasse e deixasse acantonar os mais avançados na idade. Mas decidido como está, tem mesmo de ser, caso contrário estamos sujeitos àquela furiazinha do stique a voar para as nossas canelas como no tempo dos jogos na eira. Deixai que recorde desses tempos a paixão que tinha pela fotografia… Ainda hoje me admiro como nos metíamos num quarto escuro onde manobrava os ácidos e sais para «prender» as imagens ao papel! Aquele cheiro ao amoníaco ainda aqui está! E o Ângelo foi moço na Novazinha das Canas que era a marinha onde o ti Manel Elviro imperava como marnoto! Não adianto mais… Ali fica ele perto do lago a recordar essa faina e a engenhar como arranjar uns cobres para comprar papel para mais umas experiências.

Tantos marnotos! Só um ficará por todos. Vou convidar o ti Zé Lé, marnoto da Nojeira, para se sentar e ir desfiando o seu rosário naquela voz pausada e um tanto roufenha. Era também pedalada certa e vagarosa a que puxava a bicicleta que o levava à bateira.

De proprietários também a escolha não é fácil; mas o que ficou mais presente na imaginação foi o ti Zé Vieira, sem dúvida por ser o dono da Novazinha das Canas e eu privar muito com o respectivo marnoto. Demos-lhe espaço de largo que bom jeito lhe fará… 

Pescador nas marinhas só «conheci» um, o meu tio António João e já aqui expliquei a razão. Portanto, ponhamos-lhe a foice na mão e deixemo-lo à vontade que não gosta de se ver muito preso. 

Dos que iam ao bacalhau, só vou convidar o ti Artur Calção. Foi salgador e conversámos muito sobre a vida a bordo. E recordo o seu olhar triste quando desabafava: “Olha, rapaz, foram mais de cinquenta anos de mar… para ter esta miséria de reforma!” E a voz sumia-se…

Vamos então pela última figura!... Qual? 

O matador dos porcos. Fica pacificamente sentado o ti João André que, depois de morto e desmanchado o animal, vai aconchegar na salgadeira com sal novo a carne para governo da casa. 

E ficaríamos por aqui, quando um dos netos me interpela: “Ó Avô, e se puséssemos neste canto a bateira…” Como poderia resistir?! Venha a bateira!... 

A todos muitas e Boas-Festas! 

Manuel

Ceia de Natal - as mulheres das secas

Ana Maria Lopes,
no Marintimidades



"Aproxima-se o Natal… a ceia… bacalhau cozido com todos como uma das nossas principais tradições gastronómicas natalícias.
É confrangedor que ele não possa, sobretudo este ano, mimosear as mesas de todos os portugueses.
E por associação a bacalhau, recordemos o trabalho árduo das mulheres, nas secas.
Com o andar dos tempos, com o avanço das tecnologias, com regras mais higiénicas, com as exigências da ASAE, com a competição aguerrida, viriam a acabar, mas, para amostra, nem uma, naquele seu tabuado acastanhado, trincado, nos seus extensos armazéns, na sua carpintaria consertadora dos dóris, nos tanques/lavadouros, frequentemente exteriores e rústicos, singulares e típicos carros-de-mão de roda de ferro e, sobretudo, naquela vastidão imensa do «secadouro», com as tradicionais «mesas» de arame para exposição do «fiel amigo» ao sol."

Ler mais aqui


- Posted using BlogPress from my iPad

domingo, 23 de dezembro de 2012

TECENDO A VIDA UMAS COISITAS - 322


PITADAS DE SAL – 52 



ONDE VOCÊ COLOCA O SAL? 

Caríssima/o: 

Nesta quadra e com o tempo que sopra violento lá fora a tentação de nada bulir é forte… 
Porém, a magia que se respira e gostaríamos de espalhar como pozinhos de perlimpimpim, lá nos anima a prosseguir. 
Deixo-vos com um “conto” em que o sal é fundamental para a conclusão… E esta, sim, pode aproximar-nos do Menino… 

«Certo dia, um velho Mestre enxergou ao longe um dos seus discípulos preferidos que estava cabisbaixo e aparentando profunda tristeza. Lentamente, aproximou-se e pediu ao jovem que colocasse um punhado de sal num copo de água e bebesse. 
Logo o Mestre perguntou: “Qual é o gosto?”. 
E o discípulo respondeu: “Ruim”. 
Com um leve sorriso nos lábios, o Mestre indicou ao jovem que o seguisse até à beira de um lago nas proximidades. Ali chegando, disse ao jovem que novamente enchesse a mão com sal e atirasse para a água do lago. 
A seguir o velho Mestre disse ao discípulo: “Beba um pouco dessa água”. 
Enquanto a água escorria do queixo do jovem, o Mestre perguntou: ”Qual é o gosto?”. 
Assim que terminou de sorver o líquido, o rapaz respondeu: ”Bom!” 
O Mestre perguntou: ”Você sente o gosto do sal?” 
E o jovem disse: ”Não”. 
Então o Mestre sentou-se ao lado do jovem, pegou nas suas mãos e falou: “A dor na vida de uma pessoa não muda. Mas o sabor da dor depende de onde a colocamos. Quando você sentir dor, a única coisa que deve fazer é aumentar o sentido de tudo o que está à sua volta. Por outras palavras: É deixar de Ser copo para se tornar um Lago.”» 

Manuel



sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

MMI - Aquário de Bacalhaus vai ser inaugurado

13 de janeiro – 16.30 horas



No dia 13 de janeiro, data celebrativa dos 115 anos da restauração do Município de Ílhavo, vai ser inaugurado o Aquário dos Bacalhaus do Museu Marítimo. Trata-se de uma obra localizada nos terrenos mais a norte dos espaços exteriores da antiga Escola Preparatória de Ílhavo, atual CIEMar-Ílhavo, estando garantido que representará um novo elemento de atração do nosso município. Também contribuirá para a dinamização do turismo e do setor económico local, bem como complementará o discurso expositivo do MMI, iniciando a sua nova vida de tripla dimensão: museu, investigação e aquário. Com esta inauguração, concluem-se as comemorações dos 75 anos do MMI.

Fonte: CMI


quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Rabanadas para a Ceia de Natal


Rabanadas




Ingredientes

1 pão de kg (cacete, que dê boas fatias)
Óleo para fritar
Leite qb
Ovos
Canela
Açúcar
1 casca de limão
1 pau de canela


Confeção

Fatie o pão, com a espessura de cerca de 1 cm. Ponha uma frigideira ao lume e leve o óleo à fervura. Encharque o pão no leite (amornado com casca de limão e o pau de canela) e depois nos ovos batidos e leve a fritar. 
Depois de fritas, passe rabanadas por uma mistura de açúcar e canela. 

Bom apetite para a Ceia de Natal

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Aveiro: Festas de São Gonçalinho

10 a 14 de janeiro


«Já com os cartazes nas ruas, os grupos musicais contratados e todos os preparativos acautelados, está tudo pronto para as Festas de São Gonçalinho, que decorrem entre os dias 10 e 14 de Janeiro.
Fruto do trabalho da Mordomia de São Gonçalinho, “vamos ter uma festa com alma de Aveiro”, defende Fernando Catarino, o actual Juiz da Mordomia, explicando que “o cartaz musical é, praticamente, composto por talentos locais e, até o grupo mais forte, Os Deolinda, têm um elemento de Aveiro”.»
 
Texto e foto do Diário de Aveiro

domingo, 16 de dezembro de 2012

TECENDO A VIDA UMAS COISITAS – 321

PITADAS DE SAL – 51 



SAL… E O BACALHAU 



Caríssima/o: 

Quem percorrer os caminhos do sal da nossa Ria, encontrará logo no seu início o bacalhau; creio mesmo que nem valerá a pena falar da importância do sal na conservação do nosso rei dos peixes. Todos dizem que para o desenvolvimento desta pesca foi fundamental a existência das nossas marinhas. 

O navio ia carregado com sal; apanhado o bacalhau e trazido para o respetivo tratamento para bordo, chegava o momento mais delicado de toda a safra: a salga. Mais delicado e talvez mais duro. 

O bacalhau ia para o porão para ser salgado. Com a escotilha quase sempre meia fechada, para proteger o bacalhau da chuva e dos golpes de mar, com pouca luz e o mau cheiro intenso, os salgadores, de joelhos, com as roupas de oleado, à luz de velas de estearina, de gatas sobre os peixes que iam empilhando e acamando simetricamente uns sobre os outros, bem acamados, deitavam, baseados na sua prática, mão cheia de sal atrás de mão cheia sobre o peixe, ficando entre cada camada de peixe uma bem doseada camada de sal, que passava então a ser "bacalhau verde". 

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Mau tempo impede inauguração do Aquário dos Bacalhaus


Nova data a anunciar nos próximos dias

O temporal que se tem feito sentir causou danos no edifício do Aquário do Museu Marítimo de Ílhavo, que necessitam de vários dias para serem reparados, além de impedirem que sejam concluídas algumas pequenas tarefas de acabamentos. Assim, fica cancelada a inauguração do Aquário, ficando a sua realização para data a anunciar nos próximos dias.

Inauguração do Aquário dos Bacalhaus

Museu Marítimo de Ílhavo 
- 16 de dezembro 
- 16.30 horas


quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Festa de Natal do Convívio Sénior


Os nossos maiores (foto de arquivo)

Por iniciativa da Junta de Freguesia da Gafanha da Nazaré, vai realizar-se no próximo domingo, 16 de dezembro, pelas 15 horas, no auditório Mãe do Redentor da igreja matriz, um espetáculo dinamizado por um grupo de cidadãos seniores do Espaço de Convívio da autarquia. O espetáculo consta da apresentação de um “Auto de Natal” e de “Retratos de Gentes da Terra e do Mar”. 
Felicito a Junta de Freguesia e os nossos maiores por esta iniciativa tão própria da quadra natalícia que estamos a viver.

Bacalhaus já vivem no novo Aquário


  
Chegaram ontem, quarta-feira, 12 de dezembro, pelas 23 horas, ao Município de Ílhavo, os primeiros 20 Bacalhaus habitantes do Aquário do Museu Marítimo de Ílhavo, provenientes da Noruega, no âmbito de uma parceria com o Museu Marítimo de Alesund. 
Os Bacalhaus foram colocados nos tanques de quarentena, onde já nadam, para um período inicial de habituação às condições do novo habitat, sendo transferidos para o tanque principal logo que a equipa de Biólogos, que está a gerir todo este delicado processo, considere que estão reunidas as condições necessárias para uma boa transição. 
No âmbito das Comemorações do 75.º Aniversário do Museu Marítimo de Ílhavo, a Câmara Municipal vai inaugurar no próximo dia 16 de dezembro, pelas 16.30 horas, o Aquário de Bacalhaus do nosso museu, numa aposta forte na promoção da cultura marinheira do Município “Capital Portuguesa do Bacalhau”. 

Fonte: CMI

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Ílhavo: Festa de Natal para crianças



A Câmara de Ílhavo vai realizar uma Festa de Natal para todas as Crianças do Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico e IPSS com valência de Pré-Escolar do nosso Município. Desta feita, a organização optou por uma oferta diferente, apresentando “Os Filmes da Terra do Pai Natal”, num espetáculo misto no qual serão projetados pequenos filmes, os quais serão musicados ao vivo através de uma formação musical constituída por sete músicos que interpretarão diversos instrumentos, alguns deles pouco convencionais. 

A Festa de Natal 2012 realizar-se-á no Centro Cultural de Ílhavo, decorrendo a mesma em dois dias, 11 e 12 de dezembro, terça e quarta-feira.A Câmara Municipal facultará o transporte de todas as Crianças e respetivo Corpo Docente e Pessoal Não Docente para o local do espetáculo e, em parceria com as quatro Juntas de Freguesia, oferecerá a cada Criança uma lembrança comemorativa do Natal. Por motivos de logística serão efetuados três espetáculos diários, com a duração de uma hora, um às 9.30 horas, outro às 10.30 horas e, por último, um da parte da tarde às 14.00 horas.


domingo, 9 de dezembro de 2012

Gafanha da Encarnação é vila há oito anos

As efemérides, sobretudo as que nos são mais queridas, devem ser recordadas. Deixá-las cair no esquecimento, por incúria ou má memória, é crime imperdoável. Na certeza de que o presente se alicerça no passado e de que o futuro tem de estar enraizado naquilo que somos e fazemos, então urge valorizar as conquistas alcançadas, para que sirvam de estímulo aos nossos herdeiros. 

A elevação da Gafanha da Encarnação a vila, que hoje aqui evocamos, tem de ser assumida por todos os seus naturais e residentes, numa perspectiva de futuro. E para isso torna-se necessário conhecer a terra e as gentes que Maria Donzília de Jesus Almeida e Oliveiros Alexandrino Ferreira Louro retrataram no livro que publicaram em 2009. 

Para que o livro seja lido, aqui deixamos, como desafio pertinente, o discurso de apresentação da obra, proferido pela minha amiga e colaboradora, que felicito de maneira especial.

FM


Gaivotas na borda

Discurso de apresentação do livro 
"Língua e Costumes da Nossa Gente", 
da autoria de Maria Donzília Almeida 
Oliveiros Ferreira Louro 

Ilustres colegas, 
minhas Senhoras e meus Senhores,
 caros Amigos! 

Contrariando a letra, do fado clássico, acerca da cidade berço, da nossa formação académica, minha e do Professor Oliveiros, “Coimbra tem mais encanto, na hora da despedida”, nós diríamos com toda a convicção, que a Gafanha teve mais encanto, na hora do nosso regresso. 
Com efeito, desde muito cedo que andámos a calcorrear cidades e vilas, tendo começado o afastamento da nossa querida Gafanha, nos tenros 10 anos de idade, quando iniciámos estudos, na cidade de Aveiro. 
Quis o destino que nos viéssemos a reencontrar nos bancos da Lusa Atenas, onde fomos beber a sabedoria aos mestres do conhecimento. Aí, na primavera das nossas vidas, cheia de sonhos, aspirações e alguma utopia, construímos o nosso futuro profissional, que haveria de ser dedicado ao magistério. 
Pelas vicissitudes da própria profissão, fizemos vida de saltimbancos, conhecemos muita gente, adquirimos experiência, maturidade e gosto pela arte literária. 

TECENDO A VIDA UMAS COISITAS - 320


PITADAS DE SAL – 50 




AS MULHERES E O SAL…

Caríssima/o:

Reservei esta pitada, por estarmos a viver a festa da Imaculada Conceição, para conversarmos sobre a relação das Mulheres da Gafanha com o sal. Talvez ainda se lembrem que era nesta data que se celebrava o Dia da Mãe. Por tudo isto, andava às voltas com as palavras para ver o melhor alinhamento, quando nos entrou pela porta a senhora Amélia a gritar:
- Nossa Senhora me valha, mas não tanto!
E foi-nos contando o valente trambolhão que acabara de sofrer…
Quase me atrevo a dizer que esta súplica irrompeu de muitas bocas de mulheres que correndo pelas pranchas dificilmente se equilibravam com a canastra de sal à cabeça! Isso no-lo atestam as imagens e os livros:

«Como o testemunha esta já antiga fotografia, tempos houve em que os marnoteiros da ria de Aveiro (e não só desse espaço lagunar) utilizavam, essencialmente, mão-de-obra feminina no transporte do sal, das zonas de produção para os lugares de armazenamento. Esse trabalho rude era feito com o auxílio de canastras, que as corajosas mulheres da Aveiro e de outras localidades vizinhas levavam à cabeça...» 

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Presépios Tradicionais Portugueses em Aveiro

Na Antiga Capitania
 


«Até ao dia 6 de janeiro está patente a Exposição “Presépios Tradicionais Portugueses”, na Galeria do Edifício da Assembleia Municipal de Aveiro - Antiga Capitania. A Exposição “Presépios Tradicionais Portugueses” é promovida pela Associação de Artesãos da Região de Aveiro “A Barrica” e este ano contará com peças de 27 artesãos que desenvolvem o seu trabalho com o objectivo de fazer perdurar as tradições e costumes desta quadra natalícia.
A Exposição “Presépios Tradicionais Portugueses” pode ser visitada até 6 de janeiro de 2013, de segunda a sexta-feira, das 09.30 às 12.30 horas e das 14.00 horas às 18.00 horas. A entrada é livre.
No Museu da Cidade continua patente até ao dia 30 de Dezembro, a exposição colectiva de gravura e desenho que se integra na TRIENAL MOVIMENTO DESENHO 2012. A Exposição CONTRAPROVA- Gravura e Desenho pode ser visitadas de terça a sexta-feira, das 09.30 horas às 12.30 horas e das 14.00 às 18h00, e aos sábados e domingos 14.00 horas às 18.00 horas. A entrada livre.»
 
Ver mais aqui

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

ÍLHAVO: Movimento Associativo Jovem



O Movimento Associativo tem no Município de Ílhavo uma relevante importância para a vida da comunidade e de muitos Cidadãos, exercendo muitas funções de relevante interesse público. 
Na Cultura, no Desporto, na Ação Social, na Educação, e em tantas outras áreas, o Movimento Associativo está presente de forma intensa, num exercício de cidadania ativa que, sendo tradicional, tem presença nos dias de hoje e assume-se como uma esperança forte para o futuro que vamos receber. 
No dia 5 de dezembro assinalou-se o “Dia do Voluntariado” que tem no Associativismo uma das suas manifestações mais expressivas, onde os Cidadãos entregam parte do seu tempo e das suas capacidades para partilharem com a comunidade, num exercício de solidariedade que queremos enaltecer, dar como exemplo e multiplicar. 
A Câmara Municipal de Ílhavo (CMI) assume uma política de cooperação com as Associações, ativa e consequente, com a dimensão institucional, logística e financeira, a darem corpo a esse processo de responsabilidade social coletiva. 

Clube Veritas - Envelhecimento Ativo

Na Associação Comercial de Aveiro, 
8 de dezembro, 15 horas


O Cemitério de Ílhavo - Criação e Crescimento

Salão da Junta de Freguesia de S. Salvador, 15 de dezembro, 15 horas 


terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Sempre há cada uma: Bacalhaus chegam congelados

Li no DN

Bacalhaus que iriam dar vida 
a aquário chegam congelados

«A Câmara de Ílhavo espera receber uma nova remessa de bacalhaus a tempo da inauguração do primeiro aquário português dedicado a estes peixes. A primeira remessa chegou... com os peixes congelados. 
As três dezenas de bacalhaus juvenis, que iriam dar vida ao novo aquário do Museu Marítimo de Ílhavo, foram fornecidos pelo Museu de Aalesunds, na Noruega.
Os peixes foram transportados de avião para Lisboa, na segunda-feira, tendo seguido depois por estrada até Ílhavo.
À chegada ao município conhecido como a "Capital Portuguesa do Bacalhau", após a abertura das caixas de transporte, verificou-se que os peixes estavam envoltos em blocos de gelo.
Fonte da autarquia disse à agência Lusa que a empresa responsável pelo serviço de transporte está a apurar as responsabilidades no caso, assegurando que se mantém sem alteração a data de inauguração do aquário de bacalhaus.
"Em data a anunciar chegarão mais bacalhaus, a tempo da inauguração do aquário", adiantou.»

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Um olhar sobre o sal

Por Ana Maria Lopes


Fruí desde muito jovem o sabor do salgado aveirense, pois o ambiente convidava-me e o Marintimidades de hoje já me bulia.
Pelos anos 50/60, sempre que alguém me levava à empresa, na Gafanha da Nazaré, para além dos estaleiros, dos navios e da laguna envolvente e sedutora, lá tinha aquele espectáculo deslumbrante diante da vista – de Julho a Setembro, montes de sal até onde a vista alcançava. E aprendi a vê-los, a amá-los e a com eles conviver.
E o Marintimidades de outrora, para mim, já tinha um não sei quê desalinidades.
Esta tendência, porventura, natural, genética, quem sabe, foi trabalhada na disciplina de Linguística Portuguesa I e II, sobretudo com o impulso do professor Paiva Boléo, defensor da escola «Coisas e palavras», que tinha por base o cruzamento da linguística com a etnografia. E cedo, trabalhei no terreno, depois de bibliográfica e logisticamente, bem preparada.
 

domingo, 2 de dezembro de 2012

TECENDO A VIDA UMAS COISITAS - 319

PITADAS DE SAL  - 49



 ESTÓRIAS

Caríssima/o:

O primeiro domingo do mês tem sido dedicado a relembrar cenas da «nossa» vida. E vai daí, reuni algumas imagens que nos levam para junto da Ria e das marinhas, tendo surgido então uma primeira «tentação»: convidar a/o leitor/a a olhar e remirar o que elas sugerem e contar em meia dúzia de linhas isso mesmo que lhe ocorreu. Ficava eu livre de trabalho.
Mas depois pensei que nem todos, se calhar nem um/a, o fariam e o blogue ficava com muito espaço em branco!
Vem então a segunda «tentação»: recomeçar o meu «texto» e usar uma fórmula muito batida e que agora está em voga. Seria mais ou menos assim:

JORGE RIBAU BRINDA-NOS COM A CHORA

Receita O prato  A nossa gastronomia tem muito mérito com muitos sabores, mas tem estado um pouco esquecida, por culpa, nat...